Translate

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Projeto: Escrevendo, lendo e conhecendo pessoas

Sempre tive vontade de mostrar para outros educadores a importância desse projeto, desenvolvido em 1997, na Escola descrita abaixo. Na época, eu, como coordenadora Pedagógica, contei com o apoio das professoras e demais equipe também relacionadas nessa experiência, além de um grupo de voluntários extra Escola que usando um pouco do seu tempo, contribuiram muito para o sucesso da aprendizagem das crianças. Essa experiência, rendeu também uma reportagem pela Intertv Cabugi, afiliada da Rede Glogo em Natal- RN. Brevemente estamos disponibilizando o vídeo, bem como a apresentação desse Projeto com a estaística dos resultados alcançados, na Jornda Pedagógica de 2008, da Rede Municipal de Ensino. Vale a pena conferir!!!

JUSTIFICATIVA:

A Escola Municipal Professora Mareci Gomes dos Santos, situada no Centro da cidade do Natal, atende uma clientela muito carente e sua atuação está voltada para o ensino fundamental (1º e 2° ciclos).Tem como valores:
• O compromisso - procura ser uma equipe comprometida onde cada pessoa possa assumir suas responsabilidades dentro do processo.
• O respeito pelo indivíduo - procura respeitar os direitos e a forma singular de cada integrante da escola.
• A organização - busca trabalhar de forma organizada para atingir de forma efetiva os objetivos da escola.
• A integração - procura fazer um trabalho integrado envolvendo todos os membros da escola.

Tem como visão de futuro - ser uma escola comprometida com uma educação de qualidade, valorizando o respeito pelo indivíduo, buscando de forma organizada e integrada com a comunidade escolar, atender o interesse público.

Sua missão é contribuir para a melhorja do processo ensino-aprendizagem, priorizando a formação de valores inerentes à cidadania, estimulando a participação coletiva da comunidade escolar, visando uma atuação critica e participativa na sociedade.(Plano de Desenvolvimento Eestratégico)

Um dos objetivos da escola - "Elevar o desempenho acadêmico dos alunos" - chama-nos a atenção e preocupa-nos quando não estamos conseguindo um nível acadêmico satisfatório, principalmente no que diz respeito à alfabetização dos nossos alunos, mas especificamente o processo de leitura e escrita. Sentindo-nos responsáveis com os alunos que encaminhamos para o ensino fundamental II, idealizamos este projeto na tentativa de despertar nos alunos do 2° ciclo (turno vespertino) o desejo para aprender a ler e escrever de uma forma lúdica e prazerosa.

Pensando o Projeto:

Partimos de algumas leituras de Emilia Ferreiro e aqui destacamos a citação: "A escrita não é um produto escolar, mas sim um objeto cultural, resultado do esforço coletivo da humanidade" (Ferreirop.43, 1989).
Ora, se a escrita para a renomada autora é um esforço coletivo da humanidade, por que não extrapolarmos os muros da escola em busca desse esforço, melhor dizendo, da ajuda de pessoas comprometidas com a educação de milhares de brasi1eiros? Assim nasceu esse projeto que terá em seus objetivos de forma clara, o norte que nos guiará e com certeza nos fará alcançar sucesso.
Para o desenvolvimento do referido projeto, foram escolhidas pessoas altamente capacitadas (Pedagogos, Psicopedagogos, Psicólogos, Educadores em geral, Profissionais liberais, Estudantes Universitários, etc.) e que se enquadrassem nos seguintes critérios: Compreensão de educação escolar e Sensibilidade para poder injetar ânimo nas crianças e transmitir amor e paz ao responder suas cartinhas.
As pessoas escolhidas foram informadas que deveriam, através de cartas estabelecerem um vínculo com a criança correspondente possibilitando a esta, o desejo de escrever e conseqüentemente de ler e interpretar as cartas recebidas.
As crianças também foram informadas do projeto e que deveriam escolher pessoas (desconhecidas) para estabelecerem uma relação de amizade através de cartas. Para isso teriam que treinar em sala de aula, antes de escrever a primeira carta. Também fará parte do projeto ler a resposta da carta em sala de aula, assim como após um certo período de correspondência, participar de um encontro onde todos possam se conhecer pessoalmente.

OBJETIVOS:
De forma lúdica:

• Incentivar a escrita e a leitura sendo a carta um instrumento de produção de texto;

• Descobrir o prazer de escrever e ler conhecendo pessoas através de cartas;

• Construir, explorar gramaticalmente e ortograficamente uma carta;

• Possibilitar a construção de outros gêneros textuais, como: propaganda...

• Oportunizar encontro(s) entre os correspondentes, onde aconteça a troca de saberes e conseqüentemente novas aprendizagens.

Fundamentando o Projeto

Enquanto profissionais da educação não podemos esquecer de desempenhar a contento nossa prática. Em algumas leituras feitas recentemente sobre o tema deste projeto observamos que no decorrer dos anos passados, as dificuldades de aprendizagem quando eram detectadas e inseridas no jargão de deficiências pelos educadores, eram levadas a ser medidas por testes, provas, o que sugeria uma educação voltada ao pensamento do adulto, ou seja, a criança deveria pensar como um adulto. No início do século XX, o biólogo Piaget, investigando as respostas erradas das crianças percebeu que elas tinham uma própria lógica na construção do pensamento; Vygotsky enfatizou o papel da cultura e da linguagem na formação das funções psicológicas superiores das crianças e Freud apresentou à comunidade científica a existência do inconsciente e suas conseqüências na vida de uma pessoa, ressaltando a presença de uma sexualidade nas crianças. A partir dos estudos desses teóricos a pedagogia foi impulsionada a adentrar em outros campos do conhecimento, ou seja, a medicina, a psicanálise, a psicologia, a Psicopedagogia, o que deram contribuições significativas quanto ao modo de conceber a criança e suas produçães. Como profissionais atentos às produções simbólicas e imaginárias dos nossos alunos percebemos que algo deveria ser feito para incentivá-los à prática da escrita e da leitura. Para isso buscamos absorver um pouco da experiência de Emí1ia Ferreiro, que muito estudou sobre o assunto: "A escrita como representação da linguagem". Entendemos que para juntarmos esforços na aplicação desse projeto precisamos de um referencial teórico e no momento sugerimos dentre outros: Piaget, Vygotsky, Paulo Freire, Emí1ia Ferreiro, Alícia Fernández, Nádia Bossa, Sara Paín, etc;.

Periodo de desenvolvimento

Agosto a Novembro de 2007.

Responsáveis:

Coordenação do Projeto
Maria Joana de Araújo (Coordenadora Pedagógica)

Professoras responsáveis pela execução do Projeto
Cleonice Paulino
Dione Fernandes
Eunice
Karina
Vanusa

Supervisão Pedagógica
Iara Fabiana Dantas Carneiro

Direção da Escola: Regina Guanabara e Rossana Séphora

Participantes
Alunos e Pessoas convidadas

Recursos

• Materiais - papel para escrever as cartas, lápis, caneta, hidrocor, envelope, selos, etc.

• Financeiros - para a compra dos primeiros selos, contamos com a colaboração de funcionários, que nos doaram os primeiros selos para o envio das primeiras cartas. Outra contribuição importante vem das pessoas convidadas que ao responderem as cartas colocarão dentro das mesmas um selo ou um envelope selado para que a correspondência continue.

Avaliação

Acontecerá a partir da implantação do projeto, desde o envio e recebimento das primeiras correspondências, podendo haver mudanças na condução das atividades. Avaliaremos também através de registros escritos e fotográficos dos momentos significativos em relação ao recebimento, leitura e escrita das cartas recebidas em sala de aula.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!!!